Untitled Document
Boa tarde, 26 de jun
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Agricultura

Sábado, 02 de Janeiro de 2010

 
     

Alimentos terão limite máximo para toxinas

  

Interessados em participar da Consulta Pública 100/2009 têm ainda dois meses para se manifestar. Segundo a Anvisa, os limites máximos de micotoxinas em alimentos, propostos pela Agência, são fundamentados em estudos toxicológicos internacionais

  

Divulgação Anvisa    
Trigo menor


Por Ascom/Assessoria de Imprensa da Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai estabelecer os limites máximos de micotoxinas em 16 categorias de alimentos. Para isso, colocou em Consulta Pública, no último dia 22, proposta de regulamento para o tema.

As micotoxinas são substâncias tóxicas produziadas por fungos e encontradas em alguns alimentos, principalmente grãos. “A ingestão dessas substâncias em grande quantidade pode causar sérios problemas para a saúde da população como: cirrose hepática, necrose aguda e até mesmo o câncer” explica Maria Cecília Brito, diretora da Anvisa.

A contaminação de alimentos por micotoxinas está ligada, principalmente, ao manejo incorreto das plantações e as condições de umidade e temperatura de armazenagem do alimento. “Uma secagem rápida e adequada do produto é a melhor forma de prevenção”, diz a diretora da Anvisa.
 
Dentre os alimentos que deverão seguir a nova regulamentação estão o café, o milho, o trigo e até mesmo o chocolate. “Os limites máximos de micotoxinas em alimentos, propostos pela Agência, são fundamentados em estudos toxicológicos internacionais que nos dão essa margem de segurança”, afirma Maria Cecília.
A proposta da Anvisa também estabelece  procedimentos de amostragem que os órgãos de vigilância sanitária devem seguir na coleta fiscal de alimentos para verificação da existência de micotoxinas e os métodos de analise que os laboratórios devem seguir. As toxinas englobadas pela regulamentação são: aflatoxinas, ocratoxina A, desoxinivalenol (DON), fumonisinas (B1 + B2) e patulina.
 
Contribuições
Os interessado em participar da Consulta Pública 100/2009 terão 90 dias para se manifestar. As contribuições deverão ser encaminhadas por escrito para um dos seguintes endereços: Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Gerência-Geral de Alimentos, SIA Trecho 5, Área Especial 57, Brasília- DF, CEP 71.205-050; ou para o Fax: (61) 3462-5315; ou para o e-mail: gicra@anvisa.gov.br.

Resíduos de máximos de micotoxinas permitidos
                                                                                        

Micotoxinas
Alimento
LMT (µg/kg)
Aflatoxinas B1, B2, G1, G2
Cereais e produtos a base de cereais, exceto milho e derivados
5,0
Nozes, frutas desidratadas e secas e sementes oleaginosas exceto amendoim e derivados
10,0
Alimentos infantis a base de cereais
1,0
Produtos de Cacau e chocolate
5,0
Condimentos e especiarias
20,0
Ocratoxina A
Cereais e produtos a base de cereais
10,0
Café torrado
10,0
Café solúvel
10,0
Vinho
10,0
Condimento e especiarias
10,0
Alimentos infantis a base de cereais
2,0
Produtos de cacau e chocolate
5,0
Frutas secas e desidratadas
10,0
Desoxinivalenol (DON)
Farinha de trigo
1200
Outros produtos derivados de trigo
750
Alimentos infantis a base de cereais
200
Fumonisinas (B1 + B2)
Milho não processado*
2000
Farinha de milho
1000
Outros produtos a base de milho
400
Alimentos infantis a base de milho
200
Patulina
Suco de maçã
50

 
* produto que não passa por processamento capaz de reduzir o conteúdo de fumonisinas.
 
Anvisa - EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  
  
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008