Untitled Document
Bom dia, 20 de ago
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Água

Terça-feira, 28 de Junho de 2011

 
     

Sistema de reuso de água promove economia e sustentabilidade ambiental

  

Grupo de estudantes e professores da UFMT desenvolveu o projeto Reuso da água de lavagem de roupas, entre os anos de 2004 e 2006, implantando o sistema em sete residências, no Parque Cuiabá.

  

cuiaba.mt.gov.br    
Projeto divulga Reuso de Água no Parque Cuiabá


Por Camila Queiroz - Adital

Um sistema de reuso de água criado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) possibilita economia de até 27%, redução da quantidade de esgoto produzido e cuidado com o meio ambiente. A instalação pede apenas dois reservatórios e uma bomba, e o custo varia a cada residência, mantendo-se em uma média de R$ 1.100 reais. A experiência teve início na residência de um casal de professores da universidade, Nicolau Priante Filho e Josita Correto Priante. Eles perceberam que, quando lavavam roupas, faltava água. Decidiram, então, criar um sistema para reaproveitar a água da máquina de lavar e utilizá-la na descarga sanitária e no jardim, minimizando o problema.

A partir disso, um grupo de estudantes e professores da UFMT desenvolveu o projeto Reuso da água de lavagem de roupas, entre os anos de 2004 e 2006, implantando o sistema em sete residências, no Parque Cuiabá, local em que havia constante falta de água. A iniciativa foi finalista do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, edição 2005, além de escolhida como tecnologia social de potencial de transformação e reaplicação durante o 2º Fórum Nacional da Rede de Tecnologias Sociais (RTS), realizado em Brasília, em 2009.

Dois anos depois, o engenheiro mestre em Hidráulica e Saneamento, Rafael de Paes, desenvolveu estudo acerca da quantidade e qualidade da água reutilizada e acompanhou o comportamento das sete famílias que instalaram o sistema. Elas economizaram entre 8 e 27% da água, variando de acordo com o consumo. Das sete casas, três continuaram fazendo o reuso. De acordo com Rafael, o gasto com as descargas sanitárias é muito alto em uma residência, podendo chegar a 35% do consumo total – em uma família de seis pessoas, o gasto médio é de 50 litros por pessoa, diariamente. Por outro lado, cerca de 40% do consumo de uma casa é de água não-potável, ou seja, que poderia ser reutilizada.

Ele observou ainda que a família pode ter retorno financeiro – com a economia que o sistema gera –, entre quatro meses e cinco anos após a instalação, a depender do próprio consumo. No entanto, ressalta que a preocupação financeira não deve ser central na decisão de utilizar o sistema, mas sim a "redução do consumo visando promover a conservação dos recursos hídricos e o desenvolvimento sustentável”.

Agora, o sistema será implantado em 40 residências no entorno da Lagoa Encantada do bairro CPA III, com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e deverá começar a funcionar em dois anos. Para as famílias de outros bairros que tenham interesse no sistema, um grupo de voluntários realiza visitas e instrui sobre a instalação. Há ainda um projeto para criar uma empresa incubada de consultoria no assunto.

Como funciona

A água da máquina de lavar roupas é reutilizada excluindo-se a primeira água, que contém muita matéria orgânica. Um adaptador direciona a primeira água para o esgoto, enquanto as águas do enxague vão para um reservatório, que deve ser colocado próximo à máquina. Uma bomba envia a água do reservatório para outro recipiente, localizado na parte superior da casa, ao lado da caixa de água potável. De lá, a água segue para a descarga, o jardim ou até para uma torneira na calçada.

Um adaptador é instalado entre a caixa de água potável e o reservatório de água reutilizável. Caso a família passe muitos dias sem lavar roupa, não ficará sem água para a descarga, pois o adaptador permite que a água potável passe para o reservatório de reuso. O contrário não acontece, ou seja, a água destinada ao reuso não se mistura com a água potável, impedindo contaminação.

 

Adital/EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008