Untitled Document
Boa tarde, 18 de out
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Hidrelétricas

Terça-feira, 21 de Setembro de 2010

 
     

Projeto registra temor e desinformação sobre hidrelétrica binacional

  

Equipe de Jornalismo do Cesnors/UFSM desenvolveu o projeto Diversidade Ambiental: Ribeirinhos do Rio Uruguai e moradores do entorno do Parque Estadual do Turvo.

  

Salto do Yucumã, em Derrubadas


Por Redação da EcoAgência

Ameaça real e imediata. Uma situação factual do cotidiano deu início a um inédito projeto de educação ambiental e jornalismo. O anúncio pela imprensa, em 2008, de que os governos do Brasil e Argentina uniriam esforços para construir hidrelétricas no Rio Uruguai, o complexo de Garabi, despertou a curiosidade do professor e jornalista Carlos Dominguez. A possibilidade de a nova usina deixar o Salto do Yucumã e o Parque Estadual do Turvo submersos levou o professor e mais quatro alunos a conhecer a realidade e praticar a educação ambiental aplicada ao jornalismo.

Por mais de dois anos a equipe do Curso de Jornalismo do Centro de Educação Superior Norte – RS (Cesnors/UFSM) desenvolveu o projeto Diversidade Ambiental: Ribeirinhos do Rio Uruguai e moradores do entorno do Parque Estadual do Turvo. Neste período, utilizando técnicas jornalísticas, foram realizadas gravações com os moradores do entorno do parque, no município de Derrubadas, sede do maior parque estadual gaúcho e último lar da onça pintada no Rio Grande do Sul. Além do registro em vídeo das histórias de vida e manifestações culturais típicas no contato com a terra e a mata, explica o professor, foi trabalhado o discurso ambiental, em especial com a questão de viver próxima a uma área de preservação e as contradições que este fato gera.

O material recolhido resultou em um vídeo-documentário ao estilo grande reportagem de telejornalismo, com 30 minutos, mostrando a opinião de moradores e autoridades locais sobre o problema que a criação da usina teria para a população de Derrubadas. Este vídeo, num segundo momento, foi levado para a rede escolar municipal, onde alunos da primeira a oitava série assistiram a uma palestra, a reportagem, olharam fotografias e, ao final, realizaram um plantio de mudas nativas. "Além do trabalho de campo, no mesmo período de tempo foi sendo recolhido material na mídia impressa e sites de veículos de comunicação que tratavam do tema Usina de Garabi. Ali estão sendo analisados os fluxos dos discursos ambientais por meio da análise do discurso.", diz Dominguez.

Como resultado parcial do trabalho de extensão junto à população, foi possível verificar, de acordo com os acadêmicos Clarissa Hermes, Letícia Sangaletti, Lucas Wirti e Mariana Correa, uma grande desinformação sobre a questão da barragem e o possível alagamento do Salto do Yucumã. Já no lado argentino, na localidade de El Soberbo, foi verificado junto aos depoimentos recolhidos a existências de mais informações sobre Garabi e os efeitos da usina sobre o ambiente local. É interessante destacar que tal fato se deve a somente a população argentina explorar turisticamente o potencial do Salto do Yucumã com hotéis, pousadas e passeios de barco. No lado brasileiro não há exploração turística significativa.

Esta população, de aproximadamente 5 mil pessoas, mora no entorno do parque. Geograficamente, o Rio Uruguai divide uma grande área binacional de preservação de floresta subdecidual de aproximadamente 80 mil hectares, sendo 17 mil hectares no Brasil e o restante na Argentina, no parque provincial de Moconã. Exatamente no centro desta área encontra-se o Salto do Yucumã (Salto del Moconã em espanhol), a maior queda d'água longitudinal do mundo, com 1,8 quilômetros de extensão. "Além da inigualável beleza paisagística, o local é um dos últimos habitats de inúmeras espécies da fauna e flora, além de inquestionável biodiversidade", diz Dominguez.

De acordo com Dominguez, tudo isto está ameaçado de não mais existir a partir de 2012, data prevista para começarem as obras do empreendimento binacional, mas já existe um movimento na sociedade civil pro-Yucumã. Acompanhe mais sobre o assunto no blog www.salveosaltodoyucuma.blogspot.com.

EcoAgência

  
  
  Comentários
  
ADRIANA GIMENEZ - 13/12/10 - 00:49
SOMOS CIENTOS LOS CIUDADANOS QUE NO QUEREMOS MAS REPRESAS EN NUESTROS RIOS!!! ESTAMOS HARTOS DE LA DESINFORMACIÓN. ACA NOS DICEN QUE EL PUEBLO DE BRASIL CONOCE Y APOYA EL PROYECTO DE LA HIDROELECTRICA Y QUE SOLO NOSOTROS NOS OPONEMOS. ES ESTO ASI? PORQUE NADIE NOS QUIERE DECIR REALMENTE CUALES SERÁN LAS ZONAS INUNDADAS? CUANDO PREGUNTAMOS POR LOS SALTOS DEL MOCONÁ NOS ASEGURAN QUE LA REPRESA NO LOS AFECTARA. ES ESTO CIERTO?. ESTAMOS IGUAL QUE USTEDES, NO SABEMOS CASI NADA, Y NADIE NOS INFORMA NADA. LAS COSAS SE RESUELVEN EN BUENOS AIRES Y A NOSOTROS NADIE NOS ESCUCHA.
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008