Untitled Document
Boa tarde, 24 de nov
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Agrotóxicos

Sexta-feira, 29 de Maio de 2015

 
     

Especialistas debatem uso abusivo de agrotóxicos e direitos do consumidor

  

 Participam a secretária Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, Juliana Pereira da Silva, e a representante do Instituto Nacional de Câncer (Inca), Márcia Sarpa de Campos Mello

  

Wikipedia    
Relatórios oficiais mostram aumento do uso de agrotóxicos nas lavouras do país


Por Leandro Molina - ALRS

 A secretária nacional do consumidor do Ministério da Justiça, Juliana Pereira da Silva, e a representante da Unidade Técnica de Alimentação, Nutrição e Câncer, do Instituto Nacional de Câncer (Inca), Márcia Sarpa de Campos Mello, estarão em Porto Alegre segunda-feira (), às 14 horas, para debate com representantes de órgãos do governo federal e estadual ligados à saúde, meio ambiente, agricultura, agroecologia e direitos do consumidor. Também participam técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). O encontro será na Sala Deputado Adão Pretto, no térreo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

O objetivo é reunir especialistas de várias áreas, incluindo movimentos sociais e ambientais, para discutir a elaboração de novas políticas que tratem do direito do consumidor em saber o que está consumindo, principalmente quando forem alimentos produzidos com uso de agrotóxico. Um dos pontos que será tratado é o projeto de lei 44/2015 do deputado Edegar Pretto (PT), em tramitação na Assembleia Legislativa, que obriga o uso de rótulo nas embalagens de alimentos produzidos com agrotóxicos. O PL é contraponto ao projeto aprovado na Câmara dos Deputados, em Brasília, que acabou com a exigência do símbolo de transgênico nos rótulos dos produtos com organismos geneticamente modificados.

Recentes relatórios do Instituto Nacional de Câncer e Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) mostram o aumento do consumo de agrotóxicos no País. Para se ter uma ideia da dimensão da questão que envolve defesa do consumidor e saúde pública, basta lembrar que o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos. Cada brasileiro consome em média 7,3 litros por ano, conforme dossiê da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). No Rio Grande do Sul o volume consumido pelos gaúchos é de 8,3 litros de veneno por ano, superior a média nacional.

Os estados que mais se destacam quanto à utilização de agrotóxicos são São Paulo (25%), Paraná (16%), Minas Gerais (12%), Rio Grande do Sul (12%), Mato Grosso (9%), Goiás (8%) e Mato Grosso do Sul (5%). O resultado desse uso abusivo de veneno é um dano gigantesco à saúde, com intoxicações agudas e crônicas que estão altamente associadas a doenças como câncer, doenças degenerativas e neurológicas, renais, hepáticas (fígado) e respiratórias.

O deputado Edegar Pretto diz que quando se esconde da população o processo de produção de alimentos, nega-se um princípio básico que é o direito à informação. “O consumidor tem que saber o que sua família está consumindo, de modo que possa optar por alimentos mais saudáveis”, afirma.

ALRS/EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008