Untitled Document
Boa noite, 21 de nov
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Mudanças Climáticas

Sábado, 07 de Junho de 2014

 
     

Pnuma alerta sobre vulnerabilidade climática e ameaça aos países-ilhas

  
Agência da ONU cita que o aumento do nível do mar nos pequenos Estados insulares representa o maior perigo ao meio ambiente e ao desenvolvimento; especialistas afirmam que soluções para o problema incluem políticas e investimentos em fontes de energia renováveis
  

Banco Mundial/Curt Carnemark    


Por Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, alertou esta quinta-feira para a vulnerabilidade climática e as ameaças aos países-ilhas.
 
Relatório da agência da ONU afirma que o aumento do nível dos mares representa a maior ameaça ao meio ambiente e ao desenvolvimento de 52 pequenos Estados insulares.
 
O relatório cita que enquanto o nível do mar aumenta, em média, 3,2 mm por ano, na ilha de Kosrae, na Micronésia, o aumento é de 10mm.
As consequências para essas regiões foram ressaltadas na conversa da Rádio ONU, em Nova York, com o embaixador de Cabo Verde junto das Nações Unidas.
 
Fernando Jorge Wahnoh Ferreira falou das dificuldades nas negociações sobre as mudanças climáticas envolvendo o mundo e os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, Sids, e a Aliança dos Pequenos Estados Ilhas, Aosis.
 
"Tem sido uma negociação difícil. Os países, não só os Sids mas também o do grupo Aosis, têm tido alguma dificuldade em fazer entender à comunidade internacional o quão importante é para os pequenos insulares por que há uns que efetivamente tendem a desaparecer, a necessidade de limitar o aumento da temperatura global. Nós defendemos 1,5%, muito provavelmente não será possível fixar este limite tão baixo."
 
Em muitas ilhas do Pacífico, o nível do mar sofreu uma alta de 12 mm por ano entre 1993 e 2009. Um ritmo quatro vezes maior do que o que acontece no mundo.
 
O documento diz que políticas e investimentos em fontes de energia renováveis e a transição para uma economia verde podem mudar esse cenário.
 
Os eventos do Pnuma para marcar o Dia Mundial do Meio Ambiente acontecem esta quinta-feira, em Barbados, no Caribe. Os temas deste ano são os pequenos Estados insulares em desenvolvimento e as mudanças climáticas.
 
Em todos os países-ilhas os recifes de corais sofrem um grande impacto por causa do aumento da temperatura das águas.
Nas últimas duas décadas, o Pnuma diz que a perda dessas barreiras naturais chegou a 34 milhões de hectares, e a perda financeira é quase de US$ 12 trilhões, o equivalente a mais de R$ 27 trilhões.
 
Os especialistas preveem que o branqueamento dos recifes de corais deve atingir 90% até 2030.
 
O Pnuma cita ainda que o aumento do nível do mar pode causar outros problemas. A agência dá como exemplo o turismo, que nestas regiões representa 30% dos negócios.
 
Se o nível do mar subir 50 cm, a ilha de Granada, no Caribe, perderá 60% de suas praias.
 
A pesca também vai sofrer. A prática representa até 12% de alguns países-ilhas. No Pacífico, os frutos do mar constituem 90% da dieta das populações locais.
 
O Pnuma afirma que as mudanças climáticas podem se tornar não só um obstáculo à nutrição dessas pessoas mas também ao combate à pobreza.
Rádio ONU em Nova York - EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008