Untitled Document
Boa tarde, 26 de jun
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Direitos dos Animais

Quarta-feira, 18 de Julho de 2012

 
     

Mais de 80 mil focas serão mortas em temporada de caça anual na Namíbia

  

Os caçadores batem nas cabeças das focas com tacos de madeira cravados de pregos (foto).

  

Reprodução/iafrica.com    


Por Patrícia Tai - Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda)

A temporada anual de caça às focas na Namíbia (república africana), que fará com que 86 mil focas sejam massacradas até o final de novembro, começou neste domingo (15) em meio a protestos de grupos de defesa animal que denunciam que o massacre tem fins comerciais. Neste ano, o objetivo é matar 80 mil filhotes e atirar em 6 mil animais adultos.

As autoridades da Namíbia defendem que a caça, que chamam de “colheita”, visa controlar a população de focas cujo crescimento ameaça a indústria da pesca. “A população aumentou e chegou a um ponto em que ultrapassou de longe a capacidade do ambiente… por isso a ‘colheita’ é uma atitude humana para conter o crescimento desenfreado a um nível em que possa ser sustentado pelo meio”, disse o Governo da Namíbia em uma declaração.

Mas ativistas afirmam que a atitude do Governo é hipócrita e que a caça é realizada para fins comerciais. “Não há justificativa para o assassinato. Isto é uma questão puramente política e econômica, sem preocupação pelo bem-estar animal,” disse o diretor da ONG International Fund for Animal Welfare (IFAW) na África, Jason Bell, em entrevista para a AFP.

De acordo com o Ministério da Pesca e Recursos Marinhos, havia 1,3 milhões de focas em dezembro do ano passado, mas a IFAW e outras organizações recusam-se a crer na informação, porque eles não têm permissão de acesso aos registros para verificar como é realizada a contagem dos animais.

O acesso deles às colônias ao longo da Skeleton Coast durante a caça (“colheita”) também é restrito. Segundo a IFAW, a caça de focas com fins comerciais na Namíbia é a segunda maior no mundo e só perde para o Canadá, que também ganhou notoriedade com a mesma prática. A colônia de focas da costa Cape Cross, que fica há aproximadamente 116 km ao norte do centro de cidade turística de Swakopmund, é uma das duas reservas onde as mortes ocorrem, protegidas do olhar da mídia.

Nas reservas, as focas são colocadas de barriga para cima na praia e os caçadores batem em suas cabeças com tacos de madeira cravados de pregos, repetidamente, para efetuar um golpe mortal. As carcaças são então carregadas em caminhões e levadas para o processamento nas fábricas de sete grandes empresas. Os animais são caçados por suas peles, pela sua gordura – que é usada em produtos de beleza e em estimulantes sexuais masculinos, pois na Ásia se acredita que tenha propriedades afrodisíacas.

No entanto, Bell acredita que a proibição de 2010 sobre as importações de derivados de focas pela União Europeia irá conscientizar e diminuir consideravelmente o mercado. Dentre outros países que também proibiram a entrada de produtos derivados da foca estão os Estados Unidos. “Nós queremos que mais países sigam o exemplo, que será a única maneira de coibir essa prática”, disse Bell.

Conforme informações do grupo ativista sul africano Seal Alert (SA), a Namíbia é o único país que permite a caça de filhotes de focas que ainda dependem de suas mães, o que também interrompe o processo de manutenção da espécie. “Estamos preocupados com os filhotes que serão mortos pois isso é uma prática imoral por si só”, disse o diretor François Hugo.

O governo da Namíbia vem constantemente rejeitando as acusações. No mês passado, o ombudsman do Governo recusou o pedido da Seal Alert, feito no ano passado, por uma interdição imediata contra a matança. O ombudsman disse que não tem um mandato para recomendar que o governo pare o abate, e que as focas não estão ameaçadas de extinção no âmbito da Convenção Internacional de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagens (Cites).

Ele acrescentou que a “colheita” é legal e permitida, de acordo com a Lei de Recursos Marinhos do país. A Namíbia é o único país do Hemisfério Sul que está caçando focas comercialmente, segundo a Seal Alert. A caça às focas também ocorre no Canadá, na Islândia, na Groenlândia, e nos países escandinavos da Noruega, Suécia e Finlândia.

Petição contra a matança

Um petição online criada no site Change.org está reunindo assinaturas pedindo o fim do massacre às focas. Para participar, acesse aqui.

Anda/EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  
  
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008