Untitled Document
Bom dia, 24 de nov
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Geral

Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2014

 
     

Milhões de hectares, do tamanho do Brasil, sob ameaça de degradação

  

Relatório do Programa da ONU para o Meio Ambiente afirma que 849 milhões de hectares podem deixar de existir até 2050; agência alerta para urgência em reverter o uso insustentável da terra.

  

Unamid/Albert Gonzalez Farran    
Milhões de hectares da terra em risco de degradação


Por Leda Letra - Rádio ONU

Segundo o Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma, 849 milhões de hectares de terra correm o risco de degradação até 2050, uma área que corresponde ao tamanho do Brasil. A agência lançou um relatório sobre uso insustentável da terra esta sexta-feira, durante o Fórum Econômico Mundial em Davos. Da cidade suíça, o diretor-executivo do Pnuma, Achim Steiner, falou à Rádio ONU sobre o documento. "O relatório demonstra o desafio global que devemos ter a cada dia, e precisamos mais produtividade no setor da agricultura. O relatório tem fatos muito importantes para se desenhar uma estratégia para a agricultura, segurança alimentar e mudança climática, sobre como podemos reagir a estes desafios."

O Pnuma explica que para alimentar o número crescente de pessoas no planeta, savanas, pastos e florestas foram convertidos em lavouras. Isso gerou aumento da degradação ambiental e perda da biodiversidade, afetando 23% do solo mundial. Nas últimas cinco décadas, o desmatamento ocorreu numa velocidade de 13 milhões de hectares perdidos por ano. Atualmente, mais de 30% das terras são utilizadas no setor agrícola e 10% nas lavouras. O relatório ressalta a importância de balancear consumo com produção sustentável.

Alimentos, combustíveis e fibras ganham destaque no estudo, que descreve como os países podem determinar se o nível de consumo excede a capacidade de produção sustentável. O relatório cita o aumento, nos países em desenvolvimento, das dietas ricas em proteínas e a demanda crescente por biocombustíveis, dois fatores que geram maior exploração da terra. A estimativa do Pnuma é que a expansão das lavouras seja entre 120 e 500 milhões de hectares até 2050. Para reverter a degradação, o relatório sugere várias medidas, como melhor manejo do solo e planejamento do uso da terra.

Outras propostas são: investir na restauração de terras degradadas; melhorar a produção agrícola, de maneira ecologicamente e socialmente aceitável; reduzir o desperdício alimentar e promover o consumo de vegetais e reduzir as quotas de biocombustíveis nos países. Se as medidas forem tomadas, o Pnuma acredita que 319 milhões de hectares de terra podem ser preservados até 2050. O relatório foi produzido pelo Painel Internacional de Recursos, liderado pelo Pnuma, com a participação de 27 cientistas e governos de 33 países.

 

Rádio ONU, parceira da EcoAgência de Notícias

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008