Untitled Document
Boa tarde, 22 de nov
Untitled Document
Untitled Document
  
EcoAgência > Notícia
   
Poluição

Domingo, 22 de Fevereiro de 2015

 
     

Após Carnaval, mergulhadores retiram mais de 700 kg de lixo do mar em Salvador

  

 Mais de 20kg de latinhas foram retirados do mar, sendo que: cada uma delas demora 100 anos para se decompor

  


Por Portal EcoD

Um dos principais circuitos do Carnaval de Salvador, o Dodô, fica situado na região da praia da Barra. Depois de quase uma semana de folia, as areias e águas acabam afetadas pela falta de consciência ecológica de boa parte dos foliões. Um grupo de mergulhadores, surfistas e voluntários retiraram na manhã de quinta-feira, 19 de fevereiro, 706 kg de resíduos do local.

Só de latinhas de alumínio os 60 voluntários do projeto Fundo Limpo recolheram mais de 20 kg do fundo do mar - cada uma delas leva até 100 anos para se decompor. Bitucas de cigarro, roupas íntimas, pneus, mais de 800 palitos de churrasco, cordas, uma vassoura, uma escada e R$ 32 também estavam entre os materiais recolhidos.

Em 2014 esse número foi um pouco maior: 714,3 kg. O idealizador da ação, Bruno Rocha Souza, 37 anos, acredita que as pessoas estão mais conscientes. “Neste Carnaval, vi pessoas descendo até a praia para recolher o lixo. Ano passado, achamos até uma máquina e um fogão industrial”, relatou ao jornal Correio.

Os resíduos recicláveis foram encaminhados para a coleta seletiva e os orgânicos foram levados pela prefeitura.

Proprietário de uma escola de mergulho no Porto da Barra, Bruno teve a ideia de realizar mutirões em 1994, quando seus alunos se queixaram da sujeira do mar. Hoje, ele divulga o projeto pelo Facebook e pelo site da escola para recrutar voluntários. “Fazemos essa ação quatro vezes por ano. Antes do Carnaval para limpar os resíduos do Verão, após o Carnaval, em julho ou junho e setembro”, explicou. Aulas de mergulho gratuitas são oferecidas durante quatro finais de semana para treinar o pessoal interessado.

Recicláveis e orgânicos

Segundo o instrutor, o custo da ação foi de R$ 36 mil e contou com a ajuda de patrocinadores. “Temos gastos com a publicidade para conscientizar a população, diesel utilizado nos barcos, cilindros de oxigênio e material para limpeza”, explicou a estudante de Biologia Ana Diniz, 37, que participa da organização. As equipes de limpeza entraram no mar às 8h e saíram por volta das 13h.

Quatro praias foram percorridas: Porto da Barra, Cristo, Farol e a praia em frente ao Hospital Espanhol. Uma triagem dos resíduos recolhidos foi realizada em frente ao Forte Santa Maria e durou aproximadamente três horas. Os resíduos recicláveis foram encaminhados para a coleta seletiva e os orgânicos foram levados pela prefeitura.
 
 
EcoD - EcoAgência

  
  
  
Untitled Document
Autorizada a reprodução, citando-se a fonte.
 
Mais Lidas
  
Untitled Document
 
 
 
  
  
  Untitled Document
 
 
Portal do Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul - Todos os Direitos reservados - 2008